Carioca de poker - resumo da primeira fase

Bom, pro primeiro torneio live do ano, até que não me saí tão mal. Caí em décimo-quinto de 46 jogadores, bem próximo à mesa final.

No geral, fiz um torneio sólido, com algumas boas mãos e outros erros crassos, que certamente foram responsáveis pela minha queda. Fui a pouquíssimos showdowns e não tive nenhum bad beat, nem contra nem a favor.

Minha mesa inicial era bem difícil, com jogadores muito bons à minha direita (Bruno, Pep, Rádio, Duda) e outros que desconhecia à minha esquerda, mas que depois mostraram-se autênticos baralhões. Ou seja, pressão nos meus blinds e nenhuma chance de roubar na minha vez, pois eles pagavam absolutamente TUDO. Nada de odds, semibluff... middle pocket pair era nuts e top pair era all-in, não interessando o kicker.

Comecei fazendo um torneio tight, tentando limp em posição com mãos especulativas pra ver se batia algo que pudesse fazer os baralhões pagarem até o fim, mas não rolou muita coisa interessante até o primeiro break. Tomei uma leve fatiada do Pep - descrita no blog dele - onde eu estava com open-ended str8 draw e joguei muito passivamente. Deveria ter voltado o bet no flop para tentar a free card no turn e sentir qual era a dele. Recuperei boa parte destas fichas com um bluff (sim, um bluff!) safado de T9o nos baralhões, que me pagaram até o river com draws óbvios que não bateram.

Ao mesmo tempo, tive que largar KK, a melhor mão que recebi no torneio inteiro, tendo aberto com 3x o BB no button, pago somente pelo BB baralhão. Flop Axx e o BB check (clássico trap de quem joga Ax). Fiz uma firula, pois sabia que tava morto e dei check behind. Turn x, BB aposta meio pote, larguei na hora mostrando.

Comecei a crescer a partir da seguinte jogada: middle position baralhão (sim, minha mesa tava infestada deles; só perguntar ao Pep e ao Rádio) abre mini-raise. Todos foldam até este que vos fala, que vê A3s e paga em posição indo pro gamble.

Flop abre A3x, tinha certeza que tava na frente mas não ia dar free card. Raiser abre com bet 500, eu volto 2000, ele paga. Turn bate 3 me dando full house e a chance de eliminar o cara, que sabia estar com A e kicker grande. Seguiu apostando 500, weak bet pelo tamanho do pot; pensei um pouco e só paguei. O river de sonho: Q, dando 2 pares pro cara que anuncia all-in. dou insta-call e mostro full house, praticamente dobrando em fichas.

Na mão seguinte, resolvi entrar no cutoff com J9s; flop abre outro OESD pra mim com T8x, vira em check e dou check behind pra pegar a free card. SB manda um bet de meio pot, se não me engano, e resolvi pagar pelos implied odds. River me dá o str8 com Q, SB aposta 1000, penso e anuncio: 'vou botar 3k pra roubar esse pote'. Levo insta-call e mostro o str8 vencedor.

Também me arrependi desta jogada, acho que seria pago mesmo se tivesse voltado all-in; deveria ter apostado ainda mais forte, até pra eliminar o baralhão, que depois cresceu muito e se tornou uma 'ameaça' na mesa.

Logo depois disso, 'vomitei' mais de 7k em fichas em jogadas péssimas, saindo de um confortável 28k para não tão confortáveis 21k. Eu, Rádio e Duda conversamos no break sobre as condições da mesa, e como não estava dando pra fazer move nenhum. Eu, inclusive, escrotizava todos os moves que o Rádio tentava fazer e ele acabava foldando a melhor mão pro meu draw, deixando que um dos baralhões ganhasse com o que seria a 2nd best. Que fase!

Na volta do break mostrei que não ouço porra nenhuma do que as pessoas falam comigo, pois continuei tentando dar moves em cima dos baralhões, e sangrei ficha feito louco. Uma jogada me tiltou profundamente, quando meu AKs foi pago preflop, o flop vem ragged com T high, pensei 'quero ver se ele vai arriscar o torneio dele com nada' e mandei all-in. Fui pago com 88 (!!!!!!!) e não veio A ou K pra me salvar. Deixei a mesa e fui fumar um cigarro, ainda me mantinha no average; daí pra frente foldei praticamente TODAS as mãos que apareceram.

Fui remanejado para outra mesa razoavelmente forte (Wilton, Fabiano Lemos, Skylima, entre outros que não vou lembrar o nome) e a mão secou. Não vinha absolutamente nada e os blinds estavam me comendo. Paguei um raise com QJs para ver um flop que me dava flush draw e overcards, virei all-in; fui pago pelo small stack e original raiser com ATo, não veio nada pra mim e tomei outra bela fatiada.

Daí pra frente foi só tensão, cheguei à mesa semi-final com pouquíssimas fichas e sem chance alguma de push. Quando não tinha jeito, fiz outro call all-in com QTo num flop 772 (como bate...); todos foldam até o Ratone, que ri, pede desculpas, paga e mostra 77. Nem deu pra torcer!

Não sei como foi o resultado do torneio ainda, pois já eram 22h30 e eu não ia ficar dando bobeira lá em pleno St. Patrick's Day. Parti pro Irish Pub e fui encher os cornos de Guinness, como bom devoto de São Patrício que sou =)

Que mané poker! Vambora beber Guinness! Sláinte!

Que mané poker! Vambora beber Guinness! Sláinte!


PS: menção honrosa à participação do Xilita, segundo a ser eliminado do torneio, garantindo-me ao menos o side bet de 10 dólares e tentando salvar o buy-in comendo todos os espetos da churrasqueira. huahauhauahauahuaa!!! JOGA MAAAAAALLLLL!!! Gustavo também decepcionou, sendo o terceiro a cair. Dos baralhões do Leblon/Caiçaras, Robson foi o que representou melhor, caindo em décimo-primeiro.

Por enquanto é isso, rapaziada. Desculpem pelo post gigante, tomara q alguém tenha saco pra ler tudo!